Mensagens

CRENTES DO TIPO MULHER DE Ló

CRENTES DO TIPO MULHER DE Ló

Escrito por Edielson Rocha Batista | 22/04/2017

Ló era um velho patriarca do Velho Testamento, de cuja descendência surgiram duas grandes nações sobre a terra: os moabitas e amonitas. Enriqueceu-se e possuiu fazendas e muito gado. Seus pastores entraram em litígio com os pastores de seu tio Abraão - (Gên. 13:7). Este, então propôs-lhe separação amigável. Foi Ló, então habitar nas proximidades das cidades chamadas Sodoma e Gomorra, cidades corruptas e cheias de violência, à semelhança dos tempos de hoje.

A graça do Todo-Poderoso, pairava sobre Ló, homem justo e temente a Deus. Não era possível viver num ambiente tão cheio de infidelidade e traições. Lugar de desobediência e falta de temor ao Senhor. Deus, então decreta a destruição dessas cidades, e ordena que Ló e sua família deixem esse lugar para não serem consumidos com os infiéis. Era como nos dias de Noé: "Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até que veio total destruição" - Luc. 17:27. "O mesmo aconteceu nos dias de Ló; comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam, até que choveu do céu fogo e enxofre, e destruiu a todos" - Luc. 17:28-29.

Ao ser avisado pelos anjos de Deus e obediente ao que Deus lhe falava, Ló, pega sua mulher e suas duas filhas, deixam a cidade para habitar noutro país. Diz a Bíblia que no caminho de saída das cidades perversas, a mulher de Ló, cujo nome não se sabe até hoje; "olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal" - Gên. 19:26.

Três grandes lições podemos extrair dessa breve história da mulher de Ló.

Em primeiro lugar, a origem da contenda entre o tio Abraão e o sobrinho Ló, foi a grande riqueza de cada um. Diz a Bíblia que "era Abraão muito rico, possuía gado, prata e ouro. Ló, que ia com Abraão, também tinha rebanhos, gado e tendas" - Gên. 13:2 e 5. O apóstolo Paulo diz que  "o amor do dinheiro é raiz de todos os males" - I Tm 6:10. O problema não é a riqueza, mas o amor e a cobiça pela riqueza. Certa vez, Jesus disse que dificilmente um rico entrará no reino dos céus - Mat. 19:23.

A teoria da prosperidade tão propalada até nos meios evangélicos precisa ser encarada com bastante reserva à luz da Palavra de Deus. Até que ponto a riqueza é benéfica; e a partir de quando ela servirá de destruição para o homem de Deus.

Em segundo lugar foi novamente a riqueza cobiçada pela mulher de Ló, que a levou a transformar-se numa estátua de sal. A Bíblia diz que ela no caminho, com seu esposo, fugindo da maldita cidade de Gomorra, "virou-se para trás". Levada naturalmente, pela cobiça dos bens materiais; sua bela casa, seus belos cavalos, seus bonitos carros, seu lindo jardim, suas vastas fazendas, sentiu saudade: e, quem sabe, desejou voltar, sem se importar com as graves e funestas consequências. Ah! Como é triste, ver que muitos crentes tem olhado para trás!

Em terceiro lugar, vemos que o amor à riqueza pode provocar a falta de fé na vida do homem de Deus. A mulher de Ló, revela tristemente, uma grande falta de fé. Deve ter imaginado no quanto lhe faria falta toda aquela riqueza que ficara na cidade. Imaginou, quem sabe, que agora em terra estranha, teria de começar tudo de novo. Não era capaz de acreditar que o mesmo Deus que lhe deu a primeira riqueza, era capaz de lhe dar riqueza igual ou maior agora. Às vezes, nós nos esquecemos que o Deus de Abraão, Isaque e de Jacó, é também o mesmo Deus de Jó, capaz de nos dar tudo em dobro novamente - (Jó 42:10).

Deus nos abençoe. AMÉM!

(Pastoral adaptada de texto de autoria do Rev. Dr. Ivan Ávila Publicada no Boletim "O Resplendor", de 23.02.2003)

Reverendo Jorge Marques
Pastor da IEC - Alcântara/RJ

Projeto Toledânia